Conversas com Ciência

Conjunto de encontros informais em espaços emblemáticos da cidade relacionados com cada uma das temáticas científicas.

Onde?
Igreja de São Vicente
Quando?
12 de Dezembro de 2019
Onde está a matemática em Évora

Onde está a Matemática em Évora?

MATÉVORA explora as conexões entre a Matemática e a cidade de Évora, em especial no património arquitetónico. Este projeto dedica-se a desocultar a Matemática presente nos edifícios e outros espaços de Évora, proporcionando a oportunidade de apreciar a importância desta ciência nas construções realizadas e no projetar de novas construções. Nesta sessão convidamos todos a experimentar observar, analisar e discutir a matemática na cidade e apresentamos alguns exemplos de trabalhos já realizados com crianças com este propósito. Venha desenvolver o seu "olhar matemático" ...

Onde?
Fundação Eugénio de Almeida
Quando?
30 de Janeiro de 2020
A Energia: de onde vem e como a usamos

Se para muitos de nós a palavra "Energia" traz a imagem de uma lâmpada acesa, é importante perceber que a forma como a usamos vai muito para além da electricidade. Num momento em que é evidente o impacto da forma como produzimos e utilizamos a Energia nas alterações climáticas, importa não só perceber que fontes de energia usamos hoje e que alternativas temos a elas, mas também como a usamos e como podem contribuir os nossos comportamentos e escolhas para a "Transição Energética".

Onde?
Teatro Garcia de Resende (a confirmar)
Quando?
27 de Fevereiro de 2020
Música, Tecnologia e a Sociedade Contemporânea

“Sendo a música uma prática que também define o que é ser humano, esta sempre teve uma inerente relação com as épocas e sociedades onde se pratica. Nesta conversa, refletir-se-á como sons de origem tecnológica, não-originados nos tradicionais instrumentos musicais, permeiam a música como ferramenta estética e facilitam a receção musical por parte do ouvinte, aproximando-a dos sons dos dias de hoje.” 

Atividade
Fátima Nunes (UÉ), Elisabete Pereira (UÉ), António Carvalho (Museu Arqueologia Lisboa), António Alegria (Museu Évora).
Onde?
Museu de Évora
Quando?
26 de Março de 2020
Partilhar histórias de Objectos
Quando?
23 de Abril de 2020
“Máquina do tempo“– História e Património

Reconstituição virtual do Fórum, da Praça do Giraldo, da Judiaria, da Freiria

Quando?
28 de Maio de 2020
“Sobre a Cultura”.
Atividades Já Realizadas
Onde?
Capela dos Ossos
Quando?
5 de Dezembro de 2019
Quem são as Múmias da Capela dos Ossos?

“A Capela dos Ossos, sobejamente conhecida pelo seu convite ao repouso eterno: “Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos”, alberga duas múmias cuja história anda envolta em mistério. Depois de um estudo, realizado em parceria com o Laboratório HERCULES, Teresa Fernandes, Bioantropóloga, vai desvendar quem eram estas pessoas. Vai querer saber?”

Onde?
Pousada dos Lóios
Quando?
21 de Fevereiro de 2019
Horário
das 18h30 as 20h00
História Natural do Amor

"O amor é um complexo de pulsões, emoções e sentimentos, destinado a enquadrar o imperativo processo de perpetuação da espécie. 

É estreita a relação entre amor e sexo, embora não obrigatória.
A história natural do amor confunde-se com a própria evolução dos antropoides, na qual se inserem diversas fileiras de hominídeos e, naturalmente, aquela que conduziu ao Homo sapiens. 
Será o amor próprio do Homem?
Será o amor responsável pelo enorme sucesso que Homo sapiens teve na colonização da Terra?"

Quando?
6 de Dezembro de 2018
Horário
das 19h30 as 21h00
O Esqueleto: Um cartão de Cidadão detalhado das populações antigas
Para Quem?
Todos os interessados
Onde?
Igreja do Salvador | Praça do Sertório | Évora
Quando?
26 de Abril de 2018
Horário
19h30
Como?

Entrada livre

Morrer na Forca - nos 150 anos da abolição da pena de morte em Portugal

Morrer na Forca - nos 150 anos da abolição da pena de morte em Portugal

Com Jorge Oliveira

26 de Abril | 18:30 | Igreja do Salvador | Évora

Onde?
Convento da Graça
Quando?
11 de Janeiro de 2018
Horário
19h30
Como?

Entrada Livre

Terra em Movimento - Causas e efeitos dos abalos sísmicos

Desde o grande terramoto de 1755 que Portugal vive na eminência de outro grande abalo. É possível prever a ocorrência de um sismo? E o que é um sismo? A acção do homem influencia a sua ocorrência?

Um novo estudo norte-americano diz que o próximo ano pode ser especialmente marcado por sismos de grande magnitude porque a velocidade de rotação do planeta Terra está a diminuir. Será mesmo assim?

Que medidas de prevenção/ protecção podemos adoptar?

Estes são alguns dos temas que vamos abordar na próxima “Conversas com Ciência”, dia 11 de Janeiro, no Convento da Graça (actual Messe dos Oficiais), em Évora. Contamos consigo!

Votos de um feliz 2018!

http://www.ueline.uevora.pt/agenda/(item)/23860

Onde?
Tribunal da Relação de Évora
Quando?
26 de Outubro de 2017
Horário
13h16
Luz, minerais e Évora dos anos 30

Luz, minerais e Évora dos anos 30 é o tema proposto por Galopim de Carvalho que marca o início da 2ª edição de Conversas com Ciência, iniciativa integrada no Projecto Missão Ciência e Arte, uma parceria entre a Universidade de Évora (UÉ) e a Câmara Municipal de Évora (CME), que pretende transmitir o que é a ciência e o que fazem os cientistas, estimulando nos mais jovens o gosto pela descoberta, nas mais diversas áreas do saber, das artes às ciências e às letras.

A um ritmo crescente vão surgir diversas iniciativas integradas neste projeto, desde conversas com cientistas a blocos de ciência especialmente preparados para estimular o espírito científico nas mais diversas faixas etárias.

Galopim de Carvalho:

António Marcos Galopim de Carvalho nasceu em Évora, em 1931.

Licenciado em ciências Geológicas pela Universidade de Lisboa (1959) e doutorado em Geologia pela mesma Universidade (1969).

Jubilou-se em 2001 com professor catedrático do Departamento de Geologia da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Quando?
26 de Outubro de 2017
Horário
13h16
Porque é que a Ciência nunca conseguirá ser Arte e como a Arte é uma muleta da Ciência para explicar quimeras

Pedro Portugal, 1963

Especialista em informação visual, pintor, escultor, aguarelista, performer, ensaísta, político, polemista, pensador, agricultor, professor, investigador, designer, consultor, assessor, conferencista, curador e comissário. Co-fundador da Homeostética, Ases da Paleta, Etno-Estética, Explicadismo, Pandemos e Zututurismo. Fez um doutoramento sobre a sua obra artística: A Arte Que É. Vive nas montanhas da Serra da Estrela.

Onde?
Palácio de D. Manuel
Quando?
26 de Outubro de 2017
Horário
13h16
O que Indiana Jones e um Arqueólogo têm em comum

Docente de Arqueologia da Escola de Ciências Sociais da Universidade de Évora.

Tem centrado a sua investigação sobre as Primeiras Sociedades Camponesas e o Megalitismo no Alentejo (interior e litoral).

Colabora com várias autarquias da região, nomeadamente a C.M de Mora, de Arraiolos e de Monforte, onde anualmente desenvolve trabalhos arqueológicos, com a participação de alunos de Arqueologia da UÉ.

É autora de inúmeros livros e artigos de Arqueologia e Património em geral.

Onde?
Palácio do Vimioso
Quando?
26 de Outubro de 2017
Horário
13h16
Será o templo de Diana antigo?

Falando sobre o tempo pelos olhos de um geólogo

Rui Dias

Doutorado em Geologia pela Universidade de Lisboa em 1994 fez a Agregação pela Universidade de Évora em 2004 onde é actualmente Professor Associado no Departamento de Geociências.

Especialista em Geologia Estrutural e Tectónica tem desenvolvido trabalhos regulares em Portugal e Marrocos, de que resultaram mais de 5 dezenas de artigos publicados em revistas científicas da especialidade duas dezenas de teses de doutoramento e de mestrado.

Director Executivo do Centro Ciência Viva de Estremoz tem desenvolvido intensa actividade de divulgação científica

Presidente da Sociedade Geológica de Portugal desde 2014.

Atividade
João Nabais
Universidade de Évora | Departamento de Química
Onde?
Palácio dos Condes de Soure
Quando?
26 de Outubro de 2017
Horário
13h16
A Química Descobre o Crime

A Química descobre o Crime
A sala estava composta. Todos queriam assistir ao novo filme de terror realizado por Tarantino. O suspense pairava no ar a cada grito, ranger de portas ou momento musical. Todos estavam agarrados às cadeiras na expectativa do culminar do filme. Numa das cenas, o assassino apanha a vítima e, num só golpe, corta-lhe a garganta. Ouve-se um grito agudo, seguido por outro, desta vez num timbre diferente ouvido na sequência de um disparo. Nos instantes seguintes o cinema ficou silencioso, sem se ouvir sequer respirar. Na mente de todos estava ainda bem presente os gritos que ainda ecoavam e que de repente pareciam demasiado reais. Apenas um jovem casal se tinha apercebido do verdadeiro terror onde todos seriam imersos no momento seguinte. Na última fila um jovem rapaz tinha sido brutalmente assassinado.
Apareçam para saber como termina a história e para saber como a Química ajuda a descobrir crimes.
 
João Manuel Valente Nabais
Professor Auxiliar do Departamento de Química. Tem como área de investigação o desenvolvimento de materiais adsorventes e estudo das suas aplicações, mas uma grande paixão pelas ciências forenses sendo responsável na Universidade de Évora pela disciplina de Quimica Forense.

Onde?
Colégio Mateus de Aranda
Quando?
4 de Maio de 2017
Horário
18h30
Arte, Natureza e Paisagens: Sons do Montado em Música

É a proposta que Ana Telles e João Rabaça, professores da Universidade de Évora, deixam para mais uma Conversa com Ciência, integrado no projecto Missão Ciência e Arte organizado pela Universidade de Évora e Câmara Municipal de Évora.